Atendimento (11) 4452-7100 | Comercial (11) 2598-0104 contato@guep.com.br
Nova pesquisa da CNT revela diminuição de demissões no setor de transporte

Nova pesquisa da CNT revela diminuição de demissões no setor de transporte

Nova Pesquisa de Impacto no Transporte – Covid-19, da CNT (Confederação Nacional do Transporte), mostra que as empresas do segmento de transporte e logística estão mais otimistas com o pós-pandemia, revelando assim uma diminuição de demissões neste setor.

Os resultados mostram que houve uma estabilização do número de empresas do setor de transporte que tiveram de fazer demissões durante a pandemia do coronavírus, apresentando, até mesmo, uma pequena tendência de queda.

De acordo com o levantamento, dos 40,6% transportadores que tiveram de promover redução em seus quadros de empregados, 55,3% não pretendem promover demissões em setembro. Já entre os que não demitiram, esse percentual é ainda mais elevado: 83,8% não devem demitir empregados. O que já é um motivo de comemoração, e principalmente, um passo importante para a retomada, já que este setor foi um dos mais impactados pela crise.

A pesquisa ainda revela que 52,3% dos transportadores consultados que promoveram demissões esperam readmitir os empregados após o fim da pandemia. Além disso, os resultados mostram que 35,9% dos entrevistados esperam um aumento da demanda e da receita em 2021.

Veja aqui a Pesquisa da CNT na íntegra, com todos os resultados.

O presidente da CNT, Vander Costa, considera que os transportadores estão mais otimistas em relação ao futuro pós-pandemia e que isso será fundamental para reaquecer o setor nos próximos meses. “Os resultados dessa rodada demonstram que as empresas transportadoras estão comprometidas com a retomada da atividade econômica do país, indicando até mesmo uma eventual recuperação de parte dos postos de trabalho perdidos durante a pandemia. Mas, para que essa possibilidade tenha mais chance de se concretizar, é necessário que haja uma rápida e favorável definição sobre a prorrogação da desoneração da folha de pagamentos”, comenta ele.

Apesar do setor ainda estar passando por algumas dificuldades, o cenário já começa a melhorar em comparação com o início deste ano, que foi extremamente preocupante para as transportadoras.

Gostou desta notícia? Compartilhe com quem possa se interessar.

Fonte: CNT

Gostou? Compartilhe:
Setor de transporte de cargas e logística dá novos sinais de recuperação

Setor de transporte de cargas e logística dá novos sinais de recuperação

O setor de transporte foi um dos mais afetados por causa da pandemia da Covid-19, e é por isso que pensar em soluções, ao invés de focar nos problemas, é essencial para a recuperação deste segmento.

Por esta razão, o Instituto de Transporte e Logística, mais conhecido como ITL, promoveu recentemente, o webinar “Impactos financeiros da crise no sistema de transporte e perspectivas futuras”. Nas discussões do evento online, foi possível perceber que o setor de transporte de cargas já está vivendo um momento de retomada.

“Hoje, o transporte de cargas já está atuando com por volta de 90% do volume de antes da crise”, destacou Vander Costa, presidente da CNT (Confederação Nacional de Transportes). “Já estamos nos recuperando e esperamos alcançar, no último trimestre deste ano, os mesmos números de 2019. A indústria de caminhões pesados já tem pedidos para 2020. Além disso, houve um deslocamento do consumo, e a carga fracionada passou para o e-commerce. Assim, novas necessidades estão sendo criadas. Isso gira a economia.”, comenta ele.

O presidente também destacou as medidas do governo federal para proteger empregos. “O governo foi ágil. Ao permitir a redução de jornada e trabalho, veio uma estabilidade. Nos próximos meses, não devemos ter demissões.”

Para Reginaldo Nogueira, diretor do Ibmec (Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais) de São Paulo e do Distrito Federal, no começo da pandemia da Covid-19, a grande preocupação das empresas era o caixa, e quem soube controlá-lo sobreviveu. “As empresas que controlaram o caixa e renegociaram os pagamentos conseguiram atravessar o segundo trimestre, que foi o pior momento. O acesso ao crédito também foi muito importante. A dificuldade ficou para as empresas menores, que acabaram esbarrando na burocracia. A lição que fica é que a ação estatal e a política precisam ter flexibilidade e rapidez”, destaca ele.

Ainda falando sobre a retomada, Reginaldo Nogueira destaca que será diferente para quem se preparou. “O retorno não será ao que tínhamos antes da pandemia. A retomada é diferente, e as empresas estão se preparando. Nesse sentido, elas ainda precisam se manter atentas às despesas e à evolução do mercado”, comenta ele.

Aos poucos vamos retomando e voltando a um “novo normal”. E você, gostou do conteúdo? Compartilhe com quem possa se interessar. Vamos espalhar boas notícias também.

Fonte: CNT

Gostou? Compartilhe:
Correio Real britânico adota vans elétricas em Londres

Correio Real britânico adota vans elétricas em Londres

A eletrificação chegou ao correio britânico, com nove unidades de um veículo movido a energia renovável. As vans vermelhas movidas a bateria foram desenvolvidas pela Arrival Electric Vehicles.

Operando com pesos de até 7,5 toneladas, rodarão distribuindo encomendas no centro de Londres.

Há outros veículos eletrificados na frota do Correio Britânico, com 100 vans elétricas Peugeot (de menor porte), que foram encomendadas e serão colocadas em serviço em outras cidades na região metropolitana de Londres

Antes de adotar estes veículos, foram feitos testes com outros modelos propostos pela empresa de logística UPS.

Automonia

A autonomia a plena carga das novas vans chega a 240 quilômetros com carga total, o que é, portanto, suficiente para o uso dos veículos. O Correio Real Britânico não é o único serviço europeu a adotar a eletrificação: na Alemanha a internacional DHL também está adotando veículos elétricos na última milha.

Gostou? Compartilhe:
Amazon confirma o 5º centro de distribuição no Brasil

Amazon confirma o 5º centro de distribuição no Brasil

A Amazon, gigante do comércio eletrônico, ou apenas e-commerce, está apostando fortemente na expansão de suas operações no Brasil.

A gigante anunciou recentemente o quinto centro de distribuição aqui no Brasil, mais especificamente em Cajamar, na Grande São Paulo. O objetivo é se preparar para a enorme demanda dos clientes nas compras de fim de ano e da famosa Black Friday.

Esse centro é o quarto na cidade paulista, e é maior que os demais com 100 mil metros quadrados.

Veja o pronunciamento do country manager da Amazon no Brasil, Alex Szapiro:

“A Amazon está animada em expandir nossas operações de logística na região de São Paulo, gerando empregos adicionais à comunidade e aumentando nossa capacidade para lidar com o crescimento extraordinário que temos registrado no Brasil”, comenta Szapiro.

Neste novo CD (Centro de Distribuição), os colaboradores devem ajudar a receber, embalar e despachar desde itens para casa, eletrônicos e brinquedos, até itens maiores como produtos de limpeza, TVs e equipamentos para prática de esportes.

E como este tipo de operação demanda muitos empregos, tanto diretos quanto indiretos, todos estão na expectativa da geração de milhares de empregos, o que irá de certa forma ajudar neste momento de pandemia, onde houve um aumento significativo de desempregados.

E aí, o que achou desta notícia?

Gostou? Compartilhe:
Scania lança caminhão totalmente elétrico com alcance de 250 km

Scania lança caminhão totalmente elétrico com alcance de 250 km

A Scania lançou nesta semana (na Europa…) seu primeiro caminhão totalmente elétrico. Com alcance de até 250 km, o modelo tem autonomia para operar durante todo o dia e ainda retornar
com segurança para seu depósito para carregamento noturno. Se houver necessidade de um alcance estendido, o motorista pode carregar rapidamente o caminhão durante uma pausa ou durante as paradas normais de operação em carregadores rápidos.

O novo modelo está disponível com a opção de cinco baterias, para um total de 165 kWh de potência, ou nove baterias, totalizando 300 kWh de capacidade instalada. Com cinco baterias, o alcance é de 130 km.

O alcance, claro, assim como acontece com caminhões a combustível, varia conforme o peso e tipo da carga e a topografia e distâncias a serem percorridas.

Potência

Com o motor de combustão removido, o espaço para as baterias foi liberado. O novo motor elétrico oferece um potência contínua de 230 kW ou aproximadamente 310 hp.

Assim como acontece com os motores elétricos aplicados em carros, uma das principais diferenças do motor elétrico é que ele apresenta o torque máximo muito mais rápido, resultando em melhores respostas em aceleração e resposta do trem de força.

Além dos motores, outros componentes necessários para propulsão totalmente elétrica, como gerenciamento de bateria unidades, componentes de refrigeração da bateria, sistema de direção eletro-hidráulica, ar elétrico, compressor e inversor também são montados ao longo da estrutura do chassi.

O caminhão elétrico a bateria da Scania vem equipado com um conector de carga CCS para carga rápida e que permite que, com o modelo de 130 kW, as cinco baterias serão
carregadas em menos de 55 minutos (mais ou menos uma pausa de almoço) e, no caso do modelo de nove baterias e 230 kW, em cerca de 100 minutos.

Energia em frenagens

Outra importante novidade dos modelos da Scania está nos freios regenerativos, ou seja, a energia de frenagem pode ser usada para carregar as baterias, resultando em mais autonomia para os modelos.

O caminhão elétrico Scania está disponível com cabines das séries L e P, ambas
projetadas para operações urbanas.

Os preços não foram divulgados e não há previsão de chegada dos modelos ao mercado brasileiro.

Gostou? Compartilhe:
Novo Actros da Mercedes-Benz é eleito o melhor caminhão do ano

Novo Actros da Mercedes-Benz é eleito o melhor caminhão do ano

Após apenas alguns meses do lançamento do Novo Actros da Mercedes-Benz (que inclusive, abordamos aqui no blog da Guep), o extrapesado foi eleito o melhor caminhão do ano na edição de 2020 do “Prêmio REI – Reconhecimento à Excelência e Inovação”, iniciativa da Automotive Business, mídia especializada no setor de automóveis.

E não para por aí não: a Mercedes-Benz também foi reconhecida como a “Empresa do Ano” pelo mesma editora, por suas inovações e revoluções tecnológicas nas linhas de produção de veículos e serviços.

Segundo o vice-presidente de Vendas e Marketing da Mercedes-Benz, Roberto Leoncini, esse reconhecimento mostra que a empresa está no caminho correto ao buscar sempre agregar excelência e inovação aos seus produtos e serviços.

“É com muita satisfação e orgulho que ganhamos o expressivo reconhecimento do Prêmio REI, que leva em conta a opinião especializada de renomados profissionais, leitores e participantes de eventos da Automotive Business”, afirma Leoncini. “Isso aumenta ainda mais o significado dessa conquista, que compartilho com todos os nossos colaboradores, concessionários, clientes e parceiros de negócio. Com certeza, essa é mais uma prova de que ‘As estradas falam. A Mercedes-Benz ouve. E entende os sotaques”, comenta Leoncini.

E vamos concordar que não é toa todo esse reconhecimento. Aliás, a empresa segue apostando em inovação para se destacar no cada vez mais competitivo segmento de transportes. No ano de 2018, a empresa fez a inauguração da primeira linha de caminhões no conceito 4.0 do país e lançou seu campo de provas, o maior do hemisfério sul para veículos comerciais.

No ano seguinte, em 2019, ela deu início às operações em uma nova linha de cabines e lançou o Novo Actros, um dos caminhões mais inteligentes, e seguros do país. Inclusive, se você quer saber mais sobre esse pesado, clique aqui para ler a matéria que fizemos sobre ele.

E aí, o que achou desta notícia, concorda que o Novo Actros é o melhor caminhão do ano?

Gostou? Compartilhe: