O que antes era granel, agora vem dentro das caixas metálicas, o padrão mundial no transporte de cargas. É o que está acontecendo agora, no Brasil, com commodities como farelo de soja, milho, celulose e sucos cítricos, que antes eram embarcadas exclusivamente a granel. A conclusão é simples: aumentou o uso de contêineres no agronegócio que usam como ponto de contato com o mercado internacional o Porto de Santos.

Esta é uma mudança importante pois o uso do contêiner agiliza o transporte de cargas e impacta o negócio do transporte, diminuindo o tempo necessário para embarque e desembarque e, afinal, para transportadores de todos os portes, tempo é dinheiro.

Agronegócio

Agilidade é um aspecto essencial para o agronegócio brasileiro, um dos mais competitivos do mundo e que tem se capacitado cada vez mais para ganhar velocidade e eficiência, daí parte deste movimento pela substituição do granel pelo contêiner. Isso se dá principalmente nos casos em que o porto de destino não conta com terminais graneleiros e também no embarque das commodities com algum valor agregado.

Segundo informações da Codesp – Companhia Docas do Estado de São Paulo, estatal responsável pelo Porto de Santos, a movimentação de cargas por contêiner segue o fluxo de maior atividade econômica tanto interna como de importações e exportações. As informações são de reportagem do jornal A Tribuna.

No farelo de soja, segundo a autoridade portuária, o aumento em 2019 foi de 75% na utilização de contêineres. Só em novembro, 22 mil toneladas foram embarcadas por este meio no cais santista. No acumulado do ano, o crescimento é de 57,6% e a conteinerização chegou a mais de 242 mil toneladas.

O milho cresceu ainda mais, com 110,2% em novembro, ou 11.850 toneladas embarcadas em contêineres. Já nos 11 meses de 2019, 61.075 toneladas foram transportadas por contêiner, crescimento de 45,3% em relação ao mesmo período de 2018. O número mais expressivo em novembro, claro, corresponde ao período pós-colheita.

Ainda segundo a reportagem da Tribuna, no caso dos granéis sólidos de origem vegetal, as movimentações de cargas em contêineres apresentavam a vantagem de não ser impactadas em períodos chuvosos, pois muitas vezes a exposição à chuva pode prejudicar a qualidade dos grãos.

Agilidade e eficiência com tecnologia da Guep

O transporte por contêiner não é a única forma das transportadoras ganharem eficiência no atendimento às empresas do agronegócio. O uso de ferramentas de pesquisa e cadastro como o Score da Guep podem contribuir para uma maior agilidade nos processos, reduzindo custos e riscos associados ao transporte.

Entre os principais benefícios do Score estão:

– Confiabilidade, com assertividade 40% superior*
– Redução de até 90% no tempo de liberação do motorista*
– Redução dos custos de armazenagem de carga custodiada*
– Tempo médio de pesquisa de 15 minutos
– Ferramenta web de fácil implantação

E você pode saber mais sobre o Score ou pedir uma cotação agora mesmo. Basta clicar aqui.

*Na comparação com outras soluções de mercado

Gostou? Compartilhe: