Atendimento (11) 4452-7100 | Comercial (11) 2598-0104 contato@guep.com.br
Transporte rodoviário de carga já entregou mais de 5 milhões de vacinas de Covid

Transporte rodoviário de carga já entregou mais de 5 milhões de vacinas de Covid

No final do mês de março, no dia 29, o setor de TRC deu início ao transporte gratuito de 5 milhões de doses da vacina do Butantan contra a Covid-19 ao Ministério da Saúde. O transporte está sendo feito pela West Cargo no Instituto Butantan.

Até o momento, 32,8 milhões de doses da vacina do Butantan foram entregues gratuitamente ao PNI (Plano Nacional de Imunização), em uma operação que começou no dia 17 de janeiro de 2021.

“Neste momento tão difícil que o mundo passa e que temos a complexa qualificação técnica para o transporte de medicamentos, nos sentimos muito honrados em poder oferecer o transporte gratuito das vacinas”, disse Helio J. Rosolen, presidente da West Cargo, que também acompanhou o despacho dos lotes dos imunizantes ao lado do Governador de São Paulo, João Dória.

De acordo com o Governador do Estado de São Paulo, estão previstos, até o dia 30 de abril de 2021, a entrega de mais 46 milhões de doses da vacina do Butantan e, depois, mais 50 milhões até o dia 30 de agosto deste ano, totalizando em quase 100 milhões de doses.

A ação também conta com o apoio institucional do SETCESP – Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região. “Para nós do SETCESP, que sempre fomos parceiros dos governos municipais, estaduais e federal, é um prazer estarmos nesta operação por meio de nossos associados. Hoje vamos levar esperança e saúde para o povo brasileiro, para que possamos começar a retomar a economia”, concluiu Adriano Depentor, vice-presidente de governança do SETCESP, que também esteve no Instituto Butantan.

Mercedes faz parceria com startup brasileira de drones Speedbird Aero

Mercedes faz parceria com startup brasileira de drones Speedbird Aero

Você já viu aqui, no Blog da Guep, que a Mercedes Benz já apresentou protótipos de vans que atuam em conjunto com drones, tudo para agilizar a entrega de itens e ganhar agilidade em logística. A novidade é que a fabricante firmou uma parceria com a startup brasileira de drones Speedbird Aero, que você também conheceu na mesma matéria, no Blog da Guep, quando a ANAC autorizou os primeiros testes de entregas da empresa (veja mais aqui)

A startup brasileira fechou uma parceria com a montadora alemã para o desenvolvimento de um furgão que funcionará como um ‘porta-aviões’ de drones. A ideia é que os testes envolvam o transporte de exames e vacinas com a empresa de exames laboratoriais Hermes Pardini.

O uso de uma estrutura ‘híbrida’ de veículos associados a drones visa atender diversas como entregas em locais de difícil acesso, áreas remotas e em situações de emergência.

Nos testes feitos até aqui, a Speedbird tem usado o DLV1, que está sendo usado em testes de entregas com o iFood. O drone pesa 9 kg e pode transportar até 2,5 km e chegar a uma altura máxima de 120 metros. O próximo modelo a entrar em processo de certificação é o DLV2, que transporta até 5 kg de carga e tem capacidade para voar até 10 km.

“Vimos projetos semelhantes de sucesso no exterior com a marca Mercedes-Benz e não tivemos dúvidas em tê-la como parceira de negócio no Brasil. A Sprinter é o veículo que se destaca em sua categoria e tem todas as características que necessitamos para a conexão entre os dois modais, o terrestre e o aéreo. Juntos revolucionaremos a forma como são feitas as entregas no país. Hoje, temos drones com capacidade de até 8 quilos de carga útil e autonomia que vai de 2.5 até mais de 100 quilômetros. Futuramente, com certeza, novas opções serão disponibilizadas”, ressalta Manoel Coelho, co-fundador da Speedbird Aero.

Estrada eletrificada para caminhões será estendida na Alemanha

Estrada eletrificada para caminhões será estendida na Alemanha

A primeira pista de teste eletrificada da Alemanha, que usa caminhões híbridos equipados com pantógrafos (veja a foto acima) vai ser estendida. Você viu sobre essa experiência de transporte sustentável aqui no blog da Guep: confira neste link.

Esta pista, que fica na autoestrada A5, ao sul da cidade de Frankfurt, será estendida em quase sete quilômetros Juntamente com o projeto, a fabricante Scania entregará sete caminhões adicionais equipados com pantógrafos para operar neste trecho expandido de autoestrada eletrificada. Durante os testes, a Scania também gerencia a manutenção do veículo e coleta de dados dos veículos de teste.

Desenvolvido pela Siemens, o sistema de eletrificação usado nessas estradas permite que caminhões viajem a velocidades de até 90 km/h apenas com energia elétrica, convertendo-se novamente no motor de combustão interna do caminhão ao sair do trecho eletrificado.

“As estradas elétricas oferecem um carregamento racional e eficaz durante o trajeto. Embora seja tecnicamente apenas outra forma de carregar caminhões elétricos, a solução pode ser particularmente relevante em estradas com tráfego intenso e, além disso, economiza baterias e reduz a carga na rede de energia”, afirma Magnus Höglund, chefe de infraestrutura e soluções de carregamento da Scania.

O projeto visa diminuir as emissões de carbono, já que a Alemanha é a campeã em emissões na Europa.

Vantagens

Outra vantagem deste sistema, similar ao de trens, bondes e ônibus elétricos usados em ambientes urbanos é de não depender de baterias. É que com a eletrificação de carros e outros veículos, pode ser que não haja lítio suficiente para atender à demanda mundial. O minério é o que faz as baterias mais eficientes hoje em dia, sendo utilizado na construção da maior parte de baterias de carros, motos e patinetes elétricos, entre outros.

Quer saber mais? Confira no vídeo abaixo como o sistema funciona:

Entregadores terão financiamento do Mercado Livre na compra de veículos elétricos no Brasil

Entregadores terão financiamento do Mercado Livre na compra de veículos elétricos no Brasil

Você soube pelo Blog da Guep (mais aqui) que o Mercado Livre vai adotar veículos elétricos em sua frota própria no Brasil, com 50 veículos, sendo 70 no total na América Latina.

A novidade é que agora a gigante do comércio eletrônico também vai financiar a compra de veículos movidos a eletricidade para a sua frota de terceiros. A informação se tornou pública após a empresa ter captado US$ 1,1 bilhão em bônus, sendo 400 milhões de dólares em notas atreladas a iniciativas de boas práticas socioambientais.

Atualmente o Mercado Livre conta com o suporte de 10 mil veículos e 600 carretas no Brasil, frota quase toda operada por terceiros, muitos com contratos de exclusividade.

A iniciativa segue o esforço da empresa de reduzir emissões de carbono, mas é uma ponte para que seus entregadores reduzam seus custos no médio prazo, dado que as despesas de manutenção são menores nos carros elétricos do que nos movidos a combustão.

A empresa não detalhou os recursos que serão destinados para a iniciativa privada e nem se apoiará a instalação de pontos de recarga nos centros logísticos da empresa. Essa estrutura, aliás, teve uma forte ampliação no ano passado, na esteira do crescimento do comércio eletrônico por conta da pandemia e medidas de isolamento: foi anunciada a abertura de cinco novos centros logísticos no Brasil, para um total de 8 centros.

Com 70 veículos novos na frota, Mercado Livre aposta em eletrificação nas entregas no Brasil e América Latina

Com 70 veículos novos na frota, Mercado Livre aposta em eletrificação nas entregas no Brasil e América Latina

Se depender da gigante de e-commerce Mercado Livre, sua próxima entrega pode chegar sem fazer muito barulho: é que a empresa anunciou que vai adotar 70 carros movidos a energia elétrica nas entregas de encomendas para Brasil, México, Chile e Uruguai.

O Brasil, por conta de seu peso no mercado de comércio eletrônico, vai abocanhar 51 destes veículos e a frota de vans com essa pegada de energias renováveis e baixa emissão de carbono deve crescer nos próximos anos.

O interesse pelas energias renováveis não se restringe aos novos veículos: na sede da empresa no Brasil, em Osasco (SP), há 1.800 painéis solares que abastecem 20% do consumo.