Atendimento (11) 4452-7100 | Comercial (11) 2598-0104 contato@guep.com.br
O que é pesquisa e cadastro de motorista e como funciona? Tudo o que você precisa saber

O que é pesquisa e cadastro de motorista e como funciona? Tudo o que você precisa saber

Você já ouviu falar sobre pesquisa e cadastro de motorista? É um processo que também pode ser conhecido como pesquisa e consulta de motorista ou simplesmente cadastro de motorista e é muito frequente no segmento do transporte rodoviário de cargas.

Todo embarcador e transportador tem uma séria preocupação em escolher a pessoa certa para transportar uma determinada carga. Aliás, o motorista é o grande responsável para que a mercadoria chegue sã e salva no cliente final. E se você trabalha no ramo de transporte de cargas, o conhecimento sobre esse termo é estritamente obrigatório para que você não tenha que arcar com altos prejuízos.

Caso você ainda tenha dúvida relacionada a esse tema de pesquisa, consulta e cadastro de motoristas e veículos, não se preocupe, porque acabamos de lançar um guia completo com tudo o que você precisa saber sobre pesquisa e cadastro de motoristas, o que é, como funciona, como fazer, quando é obrigatório e, mesmo quando não é, pode ser desejável, e muito mais.

Leia até o final para dominar esse assunto e evitar grandes problemas para sua operação.

Vamos lá?

O que é a pesquisa e cadastro de motorista?

Cadastro, consulta e liberação de motorista é um processo que faz parte do gerenciamento de risco da apólice de seguro de RCF-DC (roubo de cargas), sendo considerado um item indispensável para manter a segurança na sua operação.

Essa pesquisa e cadastro, tanto de motorista quanto de veículos, é feita como parte dos processos de gerenciamento de risco no transporte de cargas e tem como objetivo identificar se os responsáveis pelo transporte da carga representam ou não risco, se inspiram confiança ou não. Veja abaixo como funciona essa pesquisa e em qual momento ela deve ser realizada.

Como funciona a consulta e liberação do motorista e veículo?

As seguradoras consideram a verificação dos perfis do motorista como essencial à liberação de apólices de seguro do tipo RCF-DC. Sendo útil essa consulta também para evitar riscos como acidentes, considerando que grande parte deles são causados por imprudência ao volante.

Como dissemos anteriormente, a conferência e liberação é feita por gerenciadoras de riscos de transporte de cargas. Elas analisam, em detalhes, o perfil do motorista e do veículo (quando necessário) através de um software próprio para esse processo.

Pesquisa do Motorista

Para a realização correta da consulta do motorista é necessário inserir algumas informações do condutor para que a ferramenta busque as informações e avalie o perfil do profissional que estará envolvido na operação.

Nessa análise, são conferidas informações da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), histórico de certificações e treinamentos e também a análise socioeconômica (de acordo com os limites previstos na Lei do Caminhoneiro, Lei 13.103/2015), tudo para deixar mais seguro o dia a dia dos embarcadores e transportadores.

Pesquisa do Veículo

A partir da placa do veículo e do CNPJ/CPF do proprietário, o sistema contratado busca as informações financeiras do proprietário e do veículo, como:

  • Pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA);
  • Licenciamento no Departamento de Trânsito (DETRAN);
  • Restrições e/ou ordens judiciais;
  • Cadastro Nacional de Veículos Roubados, etc.

Como fazer essa pesquisa?

Como dissemos, para essa pesquisa e cadastro de motoristas e veículos seja feita da forma mais confiável e transparente possível, é preciso contar com uma ferramenta eficiente para sua operação.

Com um software completo você terá acesso a informações que revelam como está o desempenho de cada motorista, sobre comportamento e outras informações importantes que citamos no tópico acima.

A dúvida mais comum em relação a essas plataformas, é banco de dados é realmente seguro?

Nossa resposta é não, e vamos te explicar o porquê.

Nós da Guep atuamos há anos nesse mercado de transportes de carga e podemos afirmar que banco de dados não é a melhor opção para avaliar o perfil do motorista para sua operação.

Isso porque banco de dados podem ter informações desatualizadas sobre o principal condutor de sua mercadoria, e isso pode acarretar em sérios problemas para sua operação. Aliás, o que o motorista fez semana passada de errado pode não apontar em sistemas que fazem a pesquisa por este meio.

Por isso que nós da Guep, desenvolvemos uma solução de pesquisa e cadastro de motoristas que não depende de informações de banco de dados, mas busca em tempo real todas as informações necessárias para uma liberação mais segura. O Score é o único sistema que faz a consulta de 400 fontes simultaneamente para melhor tomada de decisão. Proporcionando 40% mais assertividade que qualquer outra opção do mercado.

Se você quer saber mais sobre o sistema de pesquisa e cadastro de motoristas Score, clique aqui.

Esta validação/liberação é feita em qual momento no embarque?

Esta validação/pesquisa é feita junto a gerenciadora de risco, antes da carga ser transportada. Se no ato do embarque o motorista, ajudante ou veículo encontrar se: não recomendado, inexistente ou não autorizado, o segurado perderá o direito a indenização, isso quer dizer que não foi aprovado para o transporte segundo a gerenciadora de risco.

Para finalizar…

Agora que você sabe tudo o sobre o que é e como funciona a pesquisa e cadastro de motoristas, o seu próximo passo é contar com uma boa ferramenta em sua operação para que esse processo seja o mais seguro e confiável possível.

Com a escolha certa, você pode ficar tranquilo quanto a segurança de sua operação e se concentrar em pontos estratégicos que trarão mais vendas para o negócio e assim, aumentar sua receita e clientes.

Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

E se esse material foi útil para você, compartilhe nas redes sociais para que chegue a mais pessoas!

Gostou? Compartilhe:
Isolamento no coronavírus: como a empresa pode reduzir riscos para se manter na ativa

Isolamento no coronavírus: como a empresa pode reduzir riscos para se manter na ativa

Com certeza você já sabe que estamos presenciando um cenário sem precedentes em razão do combate ao Coronavírus, que causa a chamada Covid-19, uma doença grave e que já vitimou muitas pessoas em diversos países, inclusive com casos em nosso país.

O Brasil está vivendo sérios impactos dos desdobramentos do combate a este vírus, por conta de medidas tomadas visando a contenção do mesmo, incluindo aí o isolamento domiciliar em grandes centros e a suspensão de negócios e eventos, entre outros.

Neste cenário, atividades na saúde – no tratamento das pessoas – se mostraram essenciais, mas também outras como o varejo, que garantem a oferta de alimentos para a população, e o transporte de carga, que tem garantido o abastecimento dos grandes centros, se mostraram vitais para a sociedade.

Nas empresas, temos um cenário de crise econômica de grandes proporções e a perspectiva de recuperação muito lenta a médio prazo, o que gera sérias preocupações para todos os negócios, com incertezas, medos e dúvidas sobre como agir e se comportar durante esse período turbulento.

Pensando nisso, nós da Guep lançamos mais uma entrevista exclusiva na GuepTV (canal onde compartilhamos no formato em vídeo conteúdo exclusivo sobre o mundo da logística, tecnologia e novidades) com a advogada Bruna Gomide, especializada no setor de transporte, sobre os impactos da crise doo coronavírus nas empresas.

Nessa entrevista, dada ao gerente da marketing da Guep, Alex Barbosa, Bruna explicou sobre os aspectos trabalhistas, fiscais e operacionais, e também deu dicas e recomendações de como as empresas podem mitigar os riscos nesta fase e se preparar para a retomada das atividades quando a situação retornar à normalidade

Ficou interessado?

Assista agora a essa entrevista na íntegra, clicando aqui.

Gostou? Compartilhe:
Brasil precisa evoluir na gestão dos riscos no transporte

Brasil precisa evoluir na gestão dos riscos no transporte

O Brasil precisa criar uma cultura efetiva e evoluir na gestão de riscos na logística. Este foi um dos alertas de Alfredo Chaia, líder de Enterprise Risk Management da consultoria Risk Veritas e vice-presidente do CIST – Clube Internacional de Seguro de Transportes.

Chaia deu uma entrevista ao time da GuepTV e falou que o País vive um importante momento de transição no mercado de seguros de transporte.

Tecnologia e transformação

“Tudo isso muito ligado às transformações relacionadas à tecnologia, particularmente nos últimos 10 anos”, explica Chaia.

Para o executivo, a tecnologia tem evoluído no transporte nos últimos 30 anos, sempre imbuída das questões de ganho de eficiência e segurança, mas foi apenas nos últimos dez anos que aconteceu uma transformação digital acelerada, que tem, por consequência, gerado uma pressão maior sobre as organizações.

Para o executivo, existem questões como a multimodalidade e a integração de grandes cadeias de abastecimento. “Existem grandes desafios, mas é importante criar um pensamento voltado à prevenção e mitigação de riscos”, afirmou.

Integração e logística

Chaia comentou à GuepTV o desafio da logística atual como a integração de cadeias de suprimento cada vez mais complexas, onde existem organizações que não só movimentam, mas atuam na integração de componentes, com serviços de valor agregado aliados à logística.

“Muito do que conseguimos hoje é resultado do tamanho e a complexidade das cadeias logísticas, porém, se um dos agentes interrompe o fornecimento em um elo, toda a cadeia pode ser comprometida”, alerta Chaia.

E é nesta grande interdependência, que ocorre em escala nacional e internacional, que residem os grandes desafios para a logística e gestão de riscos. Qual é o papel da logística nesse cenário, como ela assume o desafio de operar isso em termos de escala e eficiência?

E Chaia, ainda chama a atenção para o fato do Brasil, apesar de seguir no desenvolvimento de da gestão de risco, é um fato de que ainda há um caminho a ser percorrido para que nos tornemos um País maduro em termos de gestão de risco.

Confira a seguir a íntegra da entrevista, na GuepTV 

Gostou? Compartilhe:
Entenda melhor o papel das gerenciadoras de risco

Entenda melhor o papel das gerenciadoras de risco

Uma empresa gerenciadora de risco trabalha dentro da cadeia do transporte rodoviário de carga, sendo um ente essencial deste processo, ajudando a mitigar os riscos associados a esta operação.
É a gerenciadora de risco que promove o chamado PGR – Plano de Gerenciamento de Risco, conjunto de procedimentos e ferramentas que são utilizadas visando prevenir perdas materiais e preservar a vida do motorista em qualquer operação.
Este tipo de esclarecimento é importante, porque é muito comum as empresas, sejam elas grandes embarcadores ou transportadores, fazerem uma confusão entre quem são suas seguradoras, corretoras ou gerenciadoras de risco. É o que explica Rodrigo Tardelli, diretor da Atlas Gerenciadora de Risco, em entrevista exclusiva dada ao time da GuepTV.

Tecnologia e inovação

Tardelli também falou à GuepTV sobre o papel da tecnologia e inovação como uma forma de atender e encantar clientes. O executivo também falou de uma plataforma tecnológica que está desenvolvendo voltada à gestão de risco e que terão uma série de tratativas e SLAs, com indicadores que podem ser acompanhados pelas equipes envolvidas em tempo real.
“Será uma plataforma de software mais nova, capaz de interagir com outros sistemas como ERPs ou TMSs por meio de webservices”, explicou o executivo.

Confira abaixo a íntegra da entrevista dada ao time da GuepTV.

Gostou? Compartilhe: