7 melhores ferramentas de logística e transporte que você precisa conhecer

7 melhores ferramentas de logística e transporte que você precisa conhecer

Hoje em dia com o avanço da tecnologia, todos os dias surgem novas ferramentas de logística e transporte para otimizar processos que antes levavam bastante tempo, por serem feitos manualmente.

Muitas empresas já utilizam alguns softwares para facilitar o dia a dia e aumentar a eficiência em sua operação. Aliás, o essencial aqui é garantir que o cliente final fique satisfeito com o processo de compra, principalmente com a entrega do produto.

Antes de listarmos as 7 ferramentas de logística e transporte que você precisa conhecer, vamos entender o que são e para que servem as ferramentas de logística.

O que são ferramentas de logística e para que servem?

As ferramentas de logística geralmente são softwares desenvolvidos para agilizar o processo e otimizar a operação de qualquer empresa que atue com logística. A “Era digital”, repleta de informações, permite que as empresas saibam quais são as reais necessidades de seus clientes, e com isso ofereçam novos produtos que os atendam.

Ela ajuda a ter mais precisão, mais velocidade nos processos, reduz a necessidade de intervenção humana para determinadas coisas que a tecnologia pode – e às vezes até deve – automatizar. Lembra que falamos da evolução das ferramentas?! Por que isso está acontecendo só agora?

A principal razão é que, antes, não havia velocidade de processamento no hardware, e tampouco havia software com capacidade analítica capaz de substituir o ser humano para fazer um input de informação, uma comparação, uma correlação de causalidade entre uma coisa e outra, ou mesmo de identificar padrões, imagens ou ações. A Inteligência Artificial, só para darmos um exemplo, é uma dessas tecnologias disruptivas que só mais recentemente começaram a ganhar aplicações práticas no transporte.

Bom já sabemos que a tecnologia é a maior aliada de qualquer negócio que almeja o sucesso e quer se destacar no mercado, principalmente no setor logístico, onde a tecnologia é capaz de aumentar sua eficiência, garantir maior segurança e desburocratizar vários processos.

Agora, vamos para as 7 ferramentas de logística e transporte!

7 principais ferramentas de logística e transporte

TMS (Transportation Management System)

TMS (Transportation Management System) ou Sistema de Administração de Transporte em português, é um software de transporte responsável pelo gerenciamento e controle desse processo.

Eles são muito úteis, pois auxiliam o trabalho de controle de informações relativas a fretes, entregas, roteiros de viagens, rastreamento de cargas, automatização de informação da carga, e até emissão de documentos fiscais das cargas.

Em resumo, ele direciona, de forma integrada, a distribuição da carga com programação automática do status de entrega para o cliente com rastreamento de agendamento de entregas, digitalizando uma série de processos que, no passado, eram feitos manualmente, com o fluxo de documentos e ordens em papel.

WMS (Warehouse Management System)

WMS (Warehouse Management System) ou Sistema de Administração de Armazém em português, é um software de logística que faz a administração de armazém com base no banco de dados que a empresa alimenta.

Ela registra, de forma exata, o momento que acontece quaisquer ações no local, o que ajuda a manter toda a equipe de logística a ter controle total do armazém. O que, entra, o que sai, quando entra, quando sai. Por isso que é uma boa opção para quem deseja reduzir tempo e manter a organização do armazém e assegurar que estoques próprios ou de clientes – lembrando que há empresas especializadas apenas em prover o armazenamento de itens e cargas como um serviço. Segue abaixo algumas ações que esse software faz:

  • Controle e atualização do armazém;
  • Análise de necessidade de compra;
  • Análise de pedidos recebidos;
  • Giro de estoque/produtos;
  • Gestão de inventário;
  • Exatidão em informações dos itens.

ERP (Enterprise Resource Planning)

ERP (Enterprise Resource Planning) ou simplesmente sistemas de gestão empresarial, são soluções de uma categoria que vão até além de um software de logística, pois o mesmo avalia recursos da empresa toda. Pois, tanto atividades do setor administrativo quanto as do operacional podem controladas por ele, ajudando no controle financeiro, por exemplo.

Com isso, há uma otimização no processo já que o software agrega além de logística, outras atividades como financeiro, materiais, controladoria como também oferece a integração dos módulos de WMS e TMS.

Confira abaixo alguns dos principais recursos da ERP:

  • Controle de produção;
  • Cálculo da quantidade de estoque;
  • Fluxo de caixa;
  • Emissão de NF-e (Nota Fiscal Eletrônica);
  • Controle de custos;

No caso destes sistemas, o que acontece muitas vezes é que eles são a espinha dorsal de empresas do segmento de indústrias, varejo, finanças e outros, que precisam de controle e automação de processos. Falando especificamente dos sistemas ERP, são sistemas que muitas vezes são transversais, ou seja, abarcam e integram os processos de várias áreas de uma empresa. Além da integração a sistemas como TMS e WMS, que comentamos acima, há vezes em que há módulos destes sistemas que tratam de logística ou armazenamento, porém não com a profundidade e detalhamento dos sistemas de TMS e WMS.

Sistema de Pesquisa e Cadastro de Motorista e Veículos

Agora, falando um pouco mais focado em ferramentas para o transporte, o sistema de pesquisa e cadastro de motorista e veículos é considerado um item indispensável para manter a segurança em sua operação.

Essa pesquisa e cadastro, tanto de motorista quanto de veículos, é feita como parte dos processos de gerenciamento de risco no transporte de cargas e tem como objetivo identificar se os responsáveis pelo transporte da carga representam ou não risco na hora do transporte.

Se você quer saber mais detalhes sobre isso, nós da Guep, temos um material completo com tudo o que você saber sobre pesquisa e cadastro de motoristas, o que é, como funciona, como fazer, quando é obrigatório e, mesmo quando não é, pode ser desejável, e muito mais.

Para que essa pesquisa e cadastro de motoristas e veículos seja feita da forma mais confiável e transparente possível, é preciso contar com uma ferramenta eficiente para sua operação.

Com um software completo você terá acesso a informações que revelam como está o desempenho de cada motorista, sobre comportamento e outras informações importantes para manter a segurança em sua operação.

Nós da Guep, desenvolvemos uma solução de pesquisa e cadastro de motoristas que busca em tempo real todas as informações necessárias para uma liberação mais segura. O Score é o único sistema que faz a consulta de 400 fontes simultaneamente para melhor tomada de decisão. Proporcionando 40% mais assertividade que qualquer outra opção do mercado.

Monitoramento de carga

Essa ferramenta tem como objetivo garantir que a etapa da entrega seja bem sucedida. Por isso, a realização do mapeamento de cargas é primordial para reduzir riscos de avarias e extravios.

Por esta razão é tão importante investir neste tipo de ferramenta, o que irá garantir maior segurança para seus clientes, e aumentar sua credibilidade no mercado. Isso porque esse tipo de sistema permite que o gestor logístico identifique o local exato onde a carga está. Assim, ele tem um status em tempo real da entrega e pode apresentar uma data de previsão mais condizente com a realidade.

Este tipo de ferramenta começa a fazer mais sentido na medida em que a previsibilidade de entrega passa a ser um item estratégico na relação entre os fornecedores e clientes finais. No caso de um varejista, saber quando o produto está chegando em seus estoques, o que pode criar ações de venda mais efetivas, por exemplo.

Gestão de frotas

Se você deseja ter mais controle e segurança em suas operações de transporte, ferramentas de gestão de frotas podem constituir um item essencial. Entre os principais benefícios estão:

  • Integração das atividades de manutenção;
  • Monitoramento dos veículos;
  • Alertas em situações anormais;
  • Diminuição dos custos;
  • Automatização dos processos;
  • Acompanhamento do desempenho do carro e do motorista.
  • Todos nós sabemos que gerir uma frota não é trabalho fácil. Além da questão operacional de determinar rotas, segurança, conquistar e reter clientes, há toda uma série de atividades essenciais que envolvem da manutenção corretiva ou preventiva de veículos ao acompanhamento de itens como a troca de pneus, a compra de combustível, o armazenamento e gestão de itens de manutenção rápida e sua renovação, à medida em que estas peças são usadas – e precisarão, claro – ser repostas. Os sistemas de gestão de frotas foram pensados justamente para ajudar as empresas que gerenciam um grande volume de veículos e implementos a gerenciar a manutenção destes ativos.

    Sistemas de averbações de cargas

    Soluções eletrônicas para averbação de cargas também são fundamentais no momento antes do embarque para que haja a garantia de cobertura de seguro.

    E o que é, afinal, a averbação? A averbação é o ato de informar à companhia seguradora os dados referentes às notas fiscais e características das mercadorias que foram embarcadas para transporte, para que tenham a devida cobertura em caso de sinistro.

    É importante também que haja a possibilidade de customizações nestas soluções mediante o tipo de operação, já que isso permite às empresas se adaptarem às necessidades de seus clientes.

    Essas ferramentas, em sua maioria, já estão disponíveis para serem integradas a sistemas internos que as organizações utilizam para a gestão do seu negócio, tornando o trabalho mais simples e produtivo inclusive já existindo em algumas plataformas a possibilidade de gerar estatísticas e informações relevantes para a tomada de decisão estratégica da empresa.

    Importante ressaltar que a averbação é um procedimento obrigatório segundo a regulamentação em vigor: o transportador deve averbar a carga para estar em conformidade com o que estabelece a portaria 247 da Superintendência de Seguros Privados (SUSEP) que prevê que todos os conhecimentos, sem exceção, sejam averbados antes do início de cada viagem.

    Isso é importante porque, se acontecer um sinistro e os documentos não tiverem sido averbados, ou mesmo averbados após o início da viagem, a seguradora pode recusar a indenização ao segurado, deixando o prejuízo para a transportadora.

    Nós da Guep, temos uma solução chamada AverbGuep, que faz exatamente a Averbação Eletrônica de Carga, de forma automatizada, provendo às organizações todo o controle e suporte necessários à sua operação.

    Para finalizar…

    Você viu que existem várias opções de ferramentas voltadas ao setor logístico que otimizam e facilitam o dia a dia das empresas. Em um mercado tão competitivo, é indispensável não implementar a tecnologia em sua operação. Isso pode determinar o fracasso ou sucesso da empresa ao longo do tempo.

    Achou interessante o artigo? Compartilhe nas redes sociais!

    E aí, você já utiliza algumas destas ferramentas citadas no artigo? Se sim, deixe aqui nos comentários.

    Gostou? Compartilhe:
O que é pesquisa e cadastro de motorista e como funciona? Tudo o que você precisa saber

O que é pesquisa e cadastro de motorista e como funciona? Tudo o que você precisa saber

Você já ouviu falar sobre pesquisa e cadastro de motorista? É um processo que também pode ser conhecido como pesquisa e consulta de motorista ou simplesmente cadastro de motorista e é muito frequente no segmento do transporte rodoviário de cargas.

Todo embarcador e transportador tem uma séria preocupação em escolher a pessoa certa para transportar uma determinada carga. Aliás, o motorista é o grande responsável para que a mercadoria chegue sã e salva no cliente final. E se você trabalha no ramo de transporte de cargas, o conhecimento sobre esse termo é estritamente obrigatório para que você não tenha que arcar com altos prejuízos.

Caso você ainda tenha dúvida relacionada a esse tema de pesquisa, consulta e cadastro de motoristas e veículos, não se preocupe, porque acabamos de lançar um guia completo com tudo o que você precisa saber sobre pesquisa e cadastro de motoristas, o que é, como funciona, como fazer, quando é obrigatório e, mesmo quando não é, pode ser desejável, e muito mais.

Leia até o final para dominar esse assunto e evitar grandes problemas para sua operação.

Vamos lá?

O que é a pesquisa e cadastro de motorista?

Cadastro, consulta e liberação de motorista é um processo que faz parte do gerenciamento de risco da apólice de seguro de RCF-DC (roubo de cargas), sendo considerado um item indispensável para manter a segurança na sua operação.

Essa pesquisa e cadastro, tanto de motorista quanto de veículos, é feita como parte dos processos de gerenciamento de risco no transporte de cargas e tem como objetivo identificar se os responsáveis pelo transporte da carga representam ou não risco, se inspiram confiança ou não. Veja abaixo como funciona essa pesquisa e em qual momento ela deve ser realizada.

Como funciona a consulta e liberação do motorista e veículo?

As seguradoras consideram a verificação dos perfis do motorista como essencial à liberação de apólices de seguro do tipo RCF-DC. Sendo útil essa consulta também para evitar riscos como acidentes, considerando que grande parte deles são causados por imprudência ao volante.

Como dissemos anteriormente, a conferência e liberação é feita por gerenciadoras de riscos de transporte de cargas. Elas analisam, em detalhes, o perfil do motorista e do veículo (quando necessário) através de um software próprio para esse processo.

Pesquisa do Motorista

Para a realização correta da consulta do motorista é necessário inserir algumas informações do condutor para que a ferramenta busque as informações e avalie o perfil do profissional que estará envolvido na operação.

Nessa análise, são conferidas informações da CNH (Carteira Nacional de Habilitação), histórico de certificações e treinamentos e também a análise socioeconômica (de acordo com os limites previstos na Lei do Caminhoneiro, Lei 13.103/2015), tudo para deixar mais seguro o dia a dia dos embarcadores e transportadores.

Pesquisa do Veículo

A partir da placa do veículo e do CNPJ/CPF do proprietário, o sistema contratado busca as informações financeiras do proprietário e do veículo, como:

  • Pagamento do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA);
  • Licenciamento no Departamento de Trânsito (DETRAN);
  • Restrições e/ou ordens judiciais;
  • Cadastro Nacional de Veículos Roubados, etc.

Como fazer essa pesquisa?

Como dissemos, para essa pesquisa e cadastro de motoristas e veículos seja feita da forma mais confiável e transparente possível, é preciso contar com uma ferramenta eficiente para sua operação.

Com um software completo você terá acesso a informações que revelam como está o desempenho de cada motorista, sobre comportamento e outras informações importantes que citamos no tópico acima.

A dúvida mais comum em relação a essas plataformas, é banco de dados é realmente seguro?

Nossa resposta é não, e vamos te explicar o porquê.

Nós da Guep atuamos há anos nesse mercado de transportes de carga e podemos afirmar que banco de dados não é a melhor opção para avaliar o perfil do motorista para sua operação.

Isso porque banco de dados podem ter informações desatualizadas sobre o principal condutor de sua mercadoria, e isso pode acarretar em sérios problemas para sua operação. Aliás, o que o motorista fez semana passada de errado pode não apontar em sistemas que fazem a pesquisa por este meio.

Por isso que nós da Guep, desenvolvemos uma solução de pesquisa e cadastro de motoristas que não depende de informações de banco de dados, mas busca em tempo real todas as informações necessárias para uma liberação mais segura. O Score é o único sistema que faz a consulta de 400 fontes simultaneamente para melhor tomada de decisão. Proporcionando 40% mais assertividade que qualquer outra opção do mercado.

Se você quer saber mais sobre o sistema de pesquisa e cadastro de motoristas Score, clique aqui.

Esta validação/liberação é feita em qual momento no embarque?

Esta validação/pesquisa é feita junto a gerenciadora de risco, antes da carga ser transportada. Se no ato do embarque o motorista, ajudante ou veículo encontrar se: não recomendado, inexistente ou não autorizado, o segurado perderá o direito a indenização, isso quer dizer que não foi aprovado para o transporte segundo a gerenciadora de risco.

Para finalizar…

Agora que você sabe tudo o sobre o que é e como funciona a pesquisa e cadastro de motoristas, o seu próximo passo é contar com uma boa ferramenta em sua operação para que esse processo seja o mais seguro e confiável possível.

Com a escolha certa, você pode ficar tranquilo quanto a segurança de sua operação e se concentrar em pontos estratégicos que trarão mais vendas para o negócio e assim, aumentar sua receita e clientes.

Ficou com alguma dúvida? Deixe aqui nos comentários.

E se esse material foi útil para você, compartilhe nas redes sociais para que chegue a mais pessoas!

Gostou? Compartilhe:
Painel de Acidentes Rodoviários da CNT é atualizado com dados de 2019

Painel de Acidentes Rodoviários da CNT é atualizado com dados de 2019

O Painel CNT de Consultas Dinâmicas de Acidentes Rodoviários é uma ferramenta desenvolvida pela Confederação Nacional do Transporte, mais conhecida como CNT, que reúne dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre acidentes ocorridos em rodovias federais brasileiras. A notícia é que eles atualizaram o painel com dados de 2019 no último dia 31 de janeiro.

Com essa ferramenta é possível fazer consultas sobre os registros de acidentes, aplicando filtros e realizando cruzamento dos números para análises comparativas e mais completas. Assim é possível, por exemplo, saber quais são as rodovias onde ocorre o maior número de acidentes e mortes, quais são os tipos de acidentes mais frequentes, dentre outros.

Hoje é possível analisar o histórico de acidente nas rodovias federais brasileiros desde o ano de 2017. Vale frisar que o painel também pode ser acessado por meio de dispositivos móveis, como smartphone ou tablet.

Qual a solução para diminuir os números do Painel da CNT?

“A CNT disponibiliza para consulta a análise sobre os acidentes no Brasil e identifica os locais mais críticos. Os transportadores e o SEST SENAT também têm investido, cada vez mais, em treinamento e capacitação de motoristas, aumentando, assim, a segurança no trânsito”, afirma Vander Costa, presidente da CNT.

De acordo com dados da CNT, os 67.427 registros de 2019 apresentam queda de 2,6% em relação a 2018. Por outro lado, os acidentes com vítimas (mortos e feridos) tiveram elevação de 3,3%, subindo de 53.963, em 2018, para 55.756. Foram 2.526 feridos a mais em 2019. O número de mortes teve 63 ocorrências a mais que em 2018 , um aumento de 1,2%, passando para 5.332.

Ficou interessado? Acesse aqui o Painel da CNT.

Fonte: Agência CNT de Notícias – 03/02/2020

Gostou? Compartilhe:
Brasil precisa evoluir na gestão dos riscos no transporte

Brasil precisa evoluir na gestão dos riscos no transporte

O Brasil precisa criar uma cultura efetiva e evoluir na gestão de riscos na logística. Este foi um dos alertas de Alfredo Chaia, líder de Enterprise Risk Management da consultoria Risk Veritas e vice-presidente do CIST – Clube Internacional de Seguro de Transportes.

Chaia deu uma entrevista ao time da GuepTV e falou que o País vive um importante momento de transição no mercado de seguros de transporte.

Tecnologia e transformação

“Tudo isso muito ligado às transformações relacionadas à tecnologia, particularmente nos últimos 10 anos”, explica Chaia.

Para o executivo, a tecnologia tem evoluído no transporte nos últimos 30 anos, sempre imbuída das questões de ganho de eficiência e segurança, mas foi apenas nos últimos dez anos que aconteceu uma transformação digital acelerada, que tem, por consequência, gerado uma pressão maior sobre as organizações.

Para o executivo, existem questões como a multimodalidade e a integração de grandes cadeias de abastecimento. “Existem grandes desafios, mas é importante criar um pensamento voltado à prevenção e mitigação de riscos”, afirmou.

Integração e logística

Chaia comentou à GuepTV o desafio da logística atual como a integração de cadeias de suprimento cada vez mais complexas, onde existem organizações que não só movimentam, mas atuam na integração de componentes, com serviços de valor agregado aliados à logística.

“Muito do que conseguimos hoje é resultado do tamanho e a complexidade das cadeias logísticas, porém, se um dos agentes interrompe o fornecimento em um elo, toda a cadeia pode ser comprometida”, alerta Chaia.

E é nesta grande interdependência, que ocorre em escala nacional e internacional, que residem os grandes desafios para a logística e gestão de riscos. Qual é o papel da logística nesse cenário, como ela assume o desafio de operar isso em termos de escala e eficiência?

E Chaia, ainda chama a atenção para o fato do Brasil, apesar de seguir no desenvolvimento de da gestão de risco, é um fato de que ainda há um caminho a ser percorrido para que nos tornemos um País maduro em termos de gestão de risco.

Confira a seguir a íntegra da entrevista, na GuepTV 

Gostou? Compartilhe:
Entenda melhor o papel das gerenciadoras de risco

Entenda melhor o papel das gerenciadoras de risco

Uma empresa gerenciadora de risco trabalha dentro da cadeia do transporte rodoviário de carga, sendo um ente essencial deste processo, ajudando a mitigar os riscos associados a esta operação.
É a gerenciadora de risco que promove o chamado PGR – Plano de Gerenciamento de Risco, conjunto de procedimentos e ferramentas que são utilizadas visando prevenir perdas materiais e preservar a vida do motorista em qualquer operação.
Este tipo de esclarecimento é importante, porque é muito comum as empresas, sejam elas grandes embarcadores ou transportadores, fazerem uma confusão entre quem são suas seguradoras, corretoras ou gerenciadoras de risco. É o que explica Rodrigo Tardelli, diretor da Atlas Gerenciadora de Risco, em entrevista exclusiva dada ao time da GuepTV.

Tecnologia e inovação

Tardelli também falou à GuepTV sobre o papel da tecnologia e inovação como uma forma de atender e encantar clientes. O executivo também falou de uma plataforma tecnológica que está desenvolvendo voltada à gestão de risco e que terão uma série de tratativas e SLAs, com indicadores que podem ser acompanhados pelas equipes envolvidas em tempo real.
“Será uma plataforma de software mais nova, capaz de interagir com outros sistemas como ERPs ou TMSs por meio de webservices”, explicou o executivo.

Confira abaixo a íntegra da entrevista dada ao time da GuepTV.

Gostou? Compartilhe:
Qual a importância do gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas?

Qual a importância do gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas?

A Essência do Gerenciamento de Risco é criar valor, reduzindo o número de incertezas que podem se transformar em problemas e minimizar os possíveis efeitos futuros que venham a ocorrer, ou seja, deve ser uma ação contínua e estar presente nas tomadas de decisões de diversos setores e departamentos da empresa.

Na cadeia logística não é diferente pois o gerenciamento de risco é fundamental para evitar prejuízos não apenas do Transportador, mas também do proprietário da mercadoria, da Seguradora e do cliente final que aguarda a entrega, contudo, nem todas as empresas compreendem bem a importância dessa prática e como ela deve ser realizada de forma adequada.

Neste post vamos explicar o que é o gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas, quais são os principais riscos e como podem ser evitados. Além disso, vamos dar orientações sobre como obter e garantir de forma adequada uma melhor prática de gerenciamento de risco na empresa em que você atua. Confira!

O que é o gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas?

Na teoria, é um conjunto de medidas preventivas com o intuito de identificar, avaliar, e por fim evitar, minimizar ou sanar riscos de danos e perdas que possam ocorrer no transporte rodoviário de mercadorias.

Tais situações podem estar presentes e dificultar a execução de alguns dos processos desde o seu armazenamento, acondicionamento da carga no veículo transportador, percurso durante a viagem até por fim a entrega da carga no cliente.

Quais são os principais riscos que precisam de atenção?

Antes de mostrarmos como dar atenção devida ao gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas, é preciso identificar quais são as situações que merecem atenção nesse sentido. Acompanhe a seguir.

Fator humano (negligência / imperícia / imprudência)

São fatores que podem ser evitados e gerenciados principalmente com treinamento dos profissionais envolvidos na operação e principalmente dos motoristas.

O Papel da empresa nesse momento é entender quais são os pontos de atenção que precisam ser gerenciados e tomar as devidas providências para evitá-las e solucioná-las. Podemos destacar alguns exemplos como:

  • Utilização de celular ao volante (negligência)
  • Falta de capacitação profissional (imperícia)
  • Motorista dirigindo em velocidade acima do permitido (imprudência)

Acidentes

É uma realidade cotidiana ouvir e ler nos meios de comunicação notícias sobre tombamentos e colisões de veículos de carga, muitas vezes oriundas de motoristas com sobrecarga em suas jornadas de trabalho; tráfego em estradas com péssimas condições e com altos índices de acidentes; más condições do veículo transportador além de outros fatores geradores de sinistros de acidentes.

Atrasos

Os atrasos nas entregas geram um efeito cascata em todo o processo logístico. A insatisfação do cliente pela falta do produto é apenas uma das consequências negativas geradas, visto que, quando uma carga atrasa, significa que o veículo está gastando mais tempo e recursos do que deveria a princípio. Desta forma, a produtividade é reduzida, e os custos da operação aumentam na mesma proporção.

Perdas e faltas

Tais aspectos podem atingir qualquer operação logística desde o momento antes do embarque no veículo transportador, que é quando a mercadoria ainda se encontra no depósito até o momento em que a entrega é realizada. Por exemplo, a perda de carga durante o transporte atinge principalmente os produtos a granel. Entre outros fatores, a dispersão de mercadorias ocorre em virtude principalmente de acondicionamento inadequado e péssimas condições das rodovias.

Roubo, furto e desvio de carga

O roubo de cargas é uma prática que tem crescido a cada dia e gerado muitos prejuízos a todos os envolvidos no processo, inclusive a sociedade, pois isso afeta diretamente o preço dos fretes, a competitividade do mercado e os resultados financeiros das empresas do setor. Atualmente, existem diversas formas de minimizar o problema, como veremos mais à frente.

Como realizar o gerenciamento de risco de forma eficiente no transporte rodoviário de cargas?

Depois de entender bem quais são alguns dos principais riscos que podem ocorrer no processo logístico de sua empresa, a próxima pergunta é: como gerenciar risco de forma mais eficiente? É o que vamos responder agora.

Conheça bem sua operação

O Setor de logística e transporte rodoviário de cargas por si só possui suas próprias limitações e dificuldades e o sucesso de toda a operação depende de uma gestão cada vez mais eficiente. Toda empresa precisa reconhecer suas falhas para que seus resultados não sejam afetados.

Desta forma, será necessário realizar um levantamento de todos os aspectos críticos que possam gerar riscos ou que já tenham trazido prejuízos para a empresa, tais como falhas, reclamações e sinistros.

Contrate um gestor de risco experiente

É este profissional que possui a capacidade de entender e avaliar os riscos na operação de transporte rodoviário de carga, analisando suas causas e fragilidades e por fim, apresentando soluções para sanar, evitar ou minimizá-las.

A Consultoria deste profissional poderá ainda auxiliar sua empresa quanto as regras estabelecidas no plano de gerenciamento de risco imposta pela seguradora em sua apólice de seguros assim como mapear os sinistros ocorridos em sua operação utilizando estudos sobre graus de risco de frequência e severidade, analisar os trajetos que são utilizados na operação, o desempenho dos motoristas incluindo possibilidade de treinamentos, os locais de pernoites e onde as paradas são realizadas. Outra função também pode ser a de indicar uma gerenciadora de risco adequada para casos em que haja a necessidade de monitoramento de carga, assim como o uso de empresas de escolta.

Utilize soluções tecnológicas em sua gestão de riscos

Após identificar os pontos críticos, ações podem ser tomadas inclusive com a ajuda do gestor de riscos tais como selecionar as melhores rotas e pontos de paradas mais adequados; aperfeiçoar o processo de treinamento e a contratação de motoristas de carga;

O Mercado atualmente já disponibiliza ferramentas inovadoras como pesquisas de perfil securitário com retornos mais rápidos e assertivos, uso de simuladores para treinamento de direção defensiva, sistemas de telemetria, iscas eletrônicas, monitoramento da frota via sistema de câmeras embarcadas, e ainda sistemas de roteirização com análise de todo trajeto e informações completas referente as áreas de risco assim como o uso de aplicativos de celular mais conhecidos como “rotogramas falados”, tudo isso trazendo ainda mais segurança a sua operação;

Como vimos, o gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas contribui para a redução de custos operacionais e permite que todos os envolvidos consigam melhores resultados financeiros, além de garantir mais segurança não apenas para a carga, mais também para o próprio motorista.

Gostou do post? Receba conteúdos relevantes como esse diretamente em seu e-mail. Assine agora mesmo a nossa newsletter!

Gostou? Compartilhe: