O mercado brasileiro de caminhões segue em ritmo de retomada e deve encerrar o ano com crescimento de 18% frente a 2019, com comercialização de aproximadamente 120 mil novos veículos. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo e os dados são fruto de projeção dos fabricantes.

Este será o quarto ano seguido de alta nas vendas, lembrando que este setor teve um pico em 2011, quando foram vendidos quase 173 mil caminhões, o recorde até o momento.

Em 2019 foram vendidos 101,3 mil caminhões, com crescimento de 33% em relação a 2018.

Esta é uma projeção importante, uma vez que a indústria de caminhões é um termômetro da economia: uma frota renovada significa uma estimativa de retomada na atividade econômica e, portanto, de mais transporte de cargas.

A renovação também é necessária, uma vez que a idade média da frota é antiga, o que implica em veículos menos eficientes e com maior custo de manutenção.

Os setores com maior potencial de crescimento são os de caminhões médios e pequenos, para transporte geral de mercadorias, uma vez que os setores que puxaram as vendas nos últimos anos foram os caminhões grandes, usados na mineração e no transporte de grãos.

Ainda segundo o Estado de S. Paulo, as vendas de pesados em 2019 cresceram 48,7%, para 51,7 mil unidades, enquanto as de semi-pesados e médios aumentaram 30%, com 23,3 mil e 10 mil unidades, respectivamente.

Gostou? Compartilhe: