Uma nova forma de cálculos da tabela de frete rodoviário foi aprovada nesta semana, na terça-feira, dia 16, pela ANTT – Agência Nacional de Transportes Terrestres, e que foi construída a partir de um estudo técnico elaborado por pesquisadores em logística da Esalq/USP – Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz.
Além de estabelecer mudanças em relação à forma de cobrança atual, a nova tabela amplia regras para 11 categorias de carga, enquanto a anterior só cobria cinco. O trabalho da Esalq também incluiu veículos com maior número de eixos.
Aplicativo
Além de uma nova tabela, o Governo disponibilizará aos motoristas um aplicativo de celular gratuito de forma a permitir que o próprio caminhoneiro tenha uma estimativa do valor mínimo do frete ao negociar um transporte. Segundo os representantes da ANTT, o motorista deverá fornecer informações como, por exemplo, o valor de pedágio do trajeto, previsão de parada e pernoite, entre outros detalhes.
O aplicativo está sendo desenvolvido pelo SERPRO – Serviço Federal de Processamento de Dados, estatal que presta serviços de TI ao Governo Federal, a pedido do Ministério da Infraestrutura.
O que muda?
O trabalho realizado pela Esalq para a nova tabela de frete levará em consideração os custos fixos do serviço de transporte de carga nas rodovias, que não variam com a distância percorrida e que incidem sobre o custo das operações mesmo se o caminhão está parado, como depreciação do valor do veículo, o salário dos motoristas, IPVA e licenciamento e encargos sociais, entre outros.
Se a metodologia adotada pela Esalq considera os custos fixos por um lado, há, por consequência, uma nova forma de considerar os custos variáveis, que aumentam se a distância a ser percorrida for maior, como despesas com manutenção e combustível (diesel e pneus), por exemplo, e inclui nessa metodologia custos relacionados à velocidade de deslocamento do caminhão, tempo de carga e descarga e jornada de trabalho dos motoristas.
E também haverá uma segunda tabela, com o valor mínimo do frete quando for feita a contratação apenas do veículo automotor. A previsão é de que a atualização seja publicada nesta sexta-feira, dia 19, e o aplicativo do Governo seja divulgado posteriormente.

Gostou? Compartilhe: