No mês de março deste ano, o DECOPE (Departamento de Custos Operacionais da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística) da NTC&Logística deu início a uma pesquisa, de longa data, para monitorar o impacto que a pandemia da Covid-19 está gerando no setor de transporte de cargas.

O índice levantado por esta pesquisa está sendo atualizado todas as segundas-feiras, enquanto durar o período de isolamento.

A primeira apuração aconteceu durante os dias 23 e 24 de março, e você pode conferir os resultados através desse artigo que realizamos aqui no blog da Guep. Mas só para efeito de comparação, segundo os dados divulgados em 31 de março, o departamento apontou na variação da demanda geral uma queda de 26,90%, já mais recentemente, na apuração durante 06 a 12 de abril o número subiu para 43,90%.

Sendo que, para cargas fracionadas, aquelas que contêm pequenos volumes, a queda chegou a 46,28%, número que corresponde a entregas para pessoas físicas, distribuidores, lojas de rua e de shoppings, além de supermercados e outros estabelecimentos.

Já para cargas lotação ou fechadas, que ocupam toda a capacidade dos veículos e são utilizadas basicamente nos abastecimentos industriais e escoamento de safras, a pesquisa demonstra diminuição de 41,84%, revelando a desaceleração do comércio geral, indústria automobilística e combustíveis por exemplo.

Os estados que apresentaram maior queda na variação são Bahia (55,8%), seguido do Mato Grosso do Sul (55,7%), Pernambuco (55%) e Pará (54,4%). Outras 14 regiões sofreram queda significativa.

“Essa é uma situação que preocupa, principalmente porque a cada semana estamos vendo esse número aumentar e sabemos o quanto de fato vem causando prejuízos ao setor. Estamos torcendo para que a retomada aconteça, mesmo que aos poucos, dando atenção às devidas precauções de higiene para manter a saúde de todos os envolvidos”, comenta Francisco Pelucio, presidente da NTC&Logística,.

A entidade permanecerá acompanhando a baixa no volume de cargas até a volta da normalidade ou fim da crise como forma de apoio às demandas do setor apresentadas às autoridades públicas.

Confira a pesquisa completa aqui.

Fonte: NTC&Logística

Gostou? Compartilhe: